Atividade e resultados do Grupo NOVO BANCO em 2016

Os resultados do Grupo NOVO BANCO refletem o esforço de consolidação operacional prosseguido durante o exercício de 2016, tendo o resultado operacional atingido 386,6M€ (+209% do valor registado no período homólogo do ano anterior que ascendeu a 125,0M€) determinado pela melhoria do produto bancário e pela redução dos custos operativos.

O produto bancário situou-se em 977,5M€ (+11,1% face a 2015) para o qual contribuiu o comportamento do resultado financeiro (+14,2%) e dos resultados de operações financeiras (+25,2%).

Os custos operativos situaram-se em 590,9M€, evidenciando uma redução de 163,8M€ (-21,7%) face ao período homólogo do ano anterior. O comportamento dos custos operativos permitiu a melhoria expressiva do rácio de eficiência, com o Cost to Income a evoluir para 60,4% que compara favoravelmente com 85,8% em dezembro de 2015.

O montante afeto a provisões, no valor de 1374,7M€ representa um acréscimo de 316,8M€ em relação ao ano anterior. As imparidades incluem 672,6M€ para crédito, 315,9M€ para títulos e 98,2M€ para custos de reestruturação.

O elevado nível de provisionamento (1374,7M€) conduziu a um resultado líquido negativo de 788,3M€, o qual compara favoravelmente com o prejuízo de 929,5M€ em 2015.

Em linha com a prossecução do processo de desalavancagem do balanço, especialmente na carteira internacional, o crédito a clientes registou, no exercício de 2016, uma quebra de 3,7mM€ (parte importante relacionada com a transferência para ativos em descontinuação do BESV e do NB Ásia).

No último trimestre do ano o crédito a clientes reduziu-se em 0,4mM€, com o crédito à habitação e o outro crédito a particulares a manterem-se ao nível do registo no final do terceiro trimestre.

No quarto trimestre, os depósitos de clientes apresentaram um crescimento de 0,9mM€, em recuperação face à quebra verificada no início do ano. Ainda assim, o valor de 25,6mM€, registado em 31 de dezembro de 2016 representa uma redução de 1,8mM€ face ao período homólogo do ano anterior (evolução que não foi alheia à retransmissão de obrigações para o BES).

Os objetivos fixados no Plano de Reestruturação foram integralmente cumpridos. Assim, e relativamente a novembro de 2015 (data de referência para efeitos dos compromissos assumidos com a DG Comp no âmbito do Plano de Reestruturação), o número de colaboradores reduziu-se em 1312 (incluindo as atividades em descontinuação), face ao objetivo estabelecido de redução de 1000 a 31 de dezembro de 2016. A rede de distribuição evoluiu para 537 balcões (objetivo: 550 a 31 de dezembro de 2016) apresentando uma redução de 116 unidades. A redução dos custos operativos ultrapassou a meta estabelecida (-150M€ a 31 de dezembro de 2016).

No que se refere ao Side Bank, ou seja, os ativos não estratégicos do Grupo NOVO BANCO, o seu valor era de 8 737M€, líquido de provisões, em 31 de dezembro de 2016 (10 843M€ a 31 de dezembro de 2015).

O rácio de capital regulamentar Common Equity Tier 1 (CET1) estimado para 31 de dezembro de 2016 fixou-se em 12,0% que compara com 13,5% em dezembro de 2015, encontrando-se em linha com os principais bancos portugueses.

 

AMC estreia em exclusivo ‘The Son’, a nova série original protagonizada por Pierce Brosnan

Baseada no best-seller de Philipp Meyer, finalista do Prémio Pulitzer, esta produção de 10 episódios explora a ascensão ao poder da família McCullough no sector petrolífero no início do século XX até se tornar numa das famílias mais poderosas e ricas do Texas.

No próximo domingo, dia 30 de abril, às 22h10, o canal AMC estreia em exclusivo em Portugal a sua nova série original, ‘The Son’. A série de 10 episódios, produzida pelo AMC e pela Sonar Entertainment, é protagonizada pelo reconhecido ator Pierce Brosnan (‘O Amanhã nunca morre’).

Baseada no best-seller finalista do Prémio Pulitzer de Philipp Meyer, ‘The Son’ explora a ascensão da família McCullough no sector petrolífero no princípio do século XX até se tornar numa das famílias mais poderosas e ricas do Texas. A série acompanha a transformação de Eli McCullough (Pierce Brosnan), o carismático patriarca da família e dono de uma próspera empresa petrolífera que passa da benevolência para a violência mais calculista, sentimento que se vai refletindo na sua forma de fazer negócios.

Por seu lado, o seu filho mais velho Eli, Pete (Henry Garrett), que cresceu à sombra do pai, ao mesmo tempo que luta para o fazer sentir-se orgulhoso, tenta descobrir a sua própria identidade. A querida filha de Pete, Jeanne (Sidney Lucas) idolatra o avô e, apesar de ter sido criada num mundo dominado por homens, repudia a ideia de existir simplesmente para casar e ter filhos. Ao mesmo tempo, a ansia de poder de Eli levam-no a enfrentar o seu vizinho espanhol, Pedro García (Carlos Bardem), desencadeando consequências com impacto ao longo de gerações.

Através de uma série de flashbacks, ‘The Son’ convida os espectadores a serem testemunhas do mundo do jovem Eli McCullough (Jacob Lofland) e do seu pai, o Comanche Toshaway (Zahn McClarnon).

‘The Son’ foi escrito e produzido pelo próprio Philipp Meyer, com a parceria de Lee Shipman, Brian McGreevy e Kevin Murphy. A produção executiva conta ainda com Tom Lesinski e Jenna Santoianni.

 

DOCAPESCA repõe vedações do porto de Quarteira

A Docapesca concluiu os trabalhos de reparação das vedações dos lados nascente e poente do porto de pesca de Quarteira, que tombaram na sequência dos ventos fortes que afetaram a zona no início de março. A intervenção, realizada em estreita articulação com a Câmara Municipal de Loulé e a Junta de Freguesia de Quarteira, envolveu ainda o reforço de alguns pilares em risco de queda.

Logo após a queda das vedações, a área do porto de pesca foi provisoriamente isolada pela junta de freguesia. Concluída esta intervenção da Docapesca, os pescadores dispõem agora de melhores condições de segurança.

A empresa vai proceder à substituição da totalidade da vedação ainda em 2017, o que representa um investimento de 220 mil euros a financiar pelo Mar2020. A candidatura está a ser finalizada e será apresentada assim que ocorrer o próximo aviso para submissão de candidaturas a esse programa.

 

Chefs ensinam a cozinhar as principais espécies da costa portuguesa

Degustar e aprender a cozinhar algumas das principais espécies transacionadas nas lotas portuguesas é possível até 9 de abril na “Cozinha Docapesca” do festival “Peixe em Lisboa”. Cavala, polvo, cavala, carapau e congro são algumas das espécies utilizadas em receitas criativas em destaque nos vários dias temáticos.

Na “Cozinha Docapesca”, no período do almoço (das 13h00 às 14h00), a Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa ou chefs convidados promovem diariamente uma aula de culinária e de showcooking, seguida de degustação. Também diariamente, mas ao jantar (das 19h00 às 20h00), chefs de renome designados pela organização realizam aulas de culinária neste espaço.

Luís Figueiredo, Isabel Fonseca, António Alexandre, Patrícia Borges, Pedro Marques, Paulo Morais, João Antunes, José Júlio, Nuno Diniz, João Alves, António Henriques, Jorge Fernandes, Micael Moreira e Bertílio Gomes são os chefs que marcam presença na “Cozinha Docapesca”.

A 10ª edição do “Peixe em Lisboa” é um evento gastronómico organizado pela Associação Turismo de Lisboa e da Câmara Municipal de Lisboa, que decorre até 9 de Abril, no pavilhão Carlos Lopes (parque Eduardo VII), reunindo restaurantes de referência e chefs de renome nacional e internacional.

 

NOVO BANCO e Museu de Serralves lançam edição de 2017 do Prémio de Fotografia NOVO BANCO Revelação

O NOVO BANCO e o Museu de Serralves lançam a edição de 2017 do Prémio NOVO BANCO Revelação, que distingue jovens criadores portugueses no campo da fotografia contemporânea. Esta iniciativa premeia anualmente um grande vencedor, e atribui uma bolsa de produção no valor de 15.000 euros para a concretização do projeto escolhido, sendo o tema do projeto livre.

Um júri internacional, de composição diferente em todas as edições, seleciona numa primeira fase quatro projetos de entre as candidaturas recebidas. Os nomes dos quatro criadores serão divulgados em maio e publicados num catálogo que, para além de imagens que os documentam, inclui entrevistas feitas aos artistas.

Numa segunda fase, o júri elege como grande vencedor do prémio um destes quatro projetos. O vencedor, que será anunciado em meados de julho, recebe uma bolsa de produção e tem a oportunidade única de apresentar o seu trabalho numa exposição individual no Museu de Serralves, a inaugurar em novembro próximo.

Serão admitidos a concurso projetos de criadores de nacionalidade portuguesa, ou estrangeiros a residir em Portugal, com idade limite de 30 anos (à data de fecho das candidaturas, 30 de abril de 2017).

Ao apostar com o Museu de Serralves numa iniciativa que promove o surgimento de novos criadores, o NOVO BANCO reforça a sua estratégia de mecenato cultural na área da fotografia e, simultaneamente, intervém na comunidade através de formas inovadoras de dinamização da arte, nomeadamente no contexto dos jovens artistas contemporâneos portugueses.

 

NOVO BANCO lança novo programa de Igualdade de Género

No âmbito da política de Responsabilidade Social Empresarial e de Sustentabilidade, que
o NOVO BANCO denomina de política de dividendo social, a Comissão Executiva acaba de
lançar um novo programa de Igualdade de Género (#NB Equal Gender), pretendendo
desta forma assumir um papel de referência neste domínio.
Os compromissos agora assumidos no âmbito da igualdade de género vêm ao encontro
dos objetivos estratégicos do NOVO BANCO, que passam pela adoção das melhores
práticas na área da gestão do capital humano, no domínio da motivação e no
desenvolvimento e retenção de talentos. Também neste domínio se lançou o Programa
de Work & Life, programa de conciliação vida pessoal e profissional.
Atualmente, o NOVO BANCO já atingiu a paridade de género no número total de
colaboradores, verificando-se até uma superioridade numérica de colaboradoras
mulheres na faixa etária até aos 45 anos. Todavia verifica-se que o género feminino
mantém-se sub-representado em funções de desempenho de nível superior, tais como
quadros diretivos e funções de chefia (gerentes, chefes de serviço…), essa subrepresentação
verifica-se por apenas 31,8% dos quadros diretivos serem mulheres e esse
número descer para 34% ao nível das direções de primeira linha. Refira-se que nas chefias
abaixo de 40 anos as mulheres já ocupam 55% dos lugares.
O programa de aceleração NB Equal Gender visa garantir um maior equilíbrio em linha
com a base de clientes, o talento disponível e um princípio de meritocracia global.
O Novo Banco espera a breve trecho anunciar uma Comissão Executiva com dois
elementos femininos, num total de 7 elementos, o que representa um peso de 28% e que
acontecerá pela primeira vez na banca portuguesa.
Mas o programa apresenta objetivos concretos. Ao nível dos Quadros Diretivos, o
objetivo é passar o peso do género sub-representado dos atuais 32% para 40% em 2020.
Ao nível de Coordenação de Departamentos, 9 em 39 são hoje mulheres (23,6%) sendo o
objetivo aumentar para 33% a representatividade este nível, até 2020.
Por outro lado, foi também assumido o compromisso de redução do gap salarial,
pretendendo-se anular progressivamente as diferenças salariais que ainda existem entre
géneros em funções desempenho e /ou comparáveis, sendo o objetivo para 2020 um gap
salarial sempre inferior a 5%.

 

BANCO FINANTIA AUMENTA LUCROS PARA € 30,7 MILHÕES

O Banco Finantia  registou um lucro líquido consolidado de €30,7 milhões em 2016, um aumento de 11% face aos € 27,6 milhões apurados no ano anterior.
O produto bancário, líquido de imparidades e provisões, subiu de €62,8 milhões em 2015 para €65,2 milhões em 2016. Os custos operacionais situaram-se em €22,6 milhões, colocando o rácio de eficiência (cost-to-income) em 28%, um dos melhores entre os bancos europeus.
Os depósitos de clientes aumentaram 9% face ao registado em 2015 (€679,6 milhões) para um total de €740,4 milhões, prosseguindo a estratégia de uma maior diversificação das fontes de financiamento.
Os ativos totais situaram-se em €1,8 mil milhões, um aumento de 2% face ao ano anterior, tendo o banco reforçado a sua solidez financeira: o rácio de capital (CET1) (Implementação Total) aumentou para 23,6% de 22,3% em 2015, um dos mais elevados do sector bancário na Europa.
O enfoque geográfico do Banco Finantia continua a ser Península Ibérica, América Latina e países da CEI (Comunidade de Estados Independentes). As suas principais unidades operacionais são um banco em Portugal, um banco em Espanha, broker dealers em Londres e Nova Iorque e escritórios em São Paulo e Malta.
Na atividade de Corporate & Investment Banking o Banco Finantia esteve durante 2016 envolvido em transações relevantes no mercado Português, destacando-se a aquisição da Tertir pelo Grupo Yildirim no maior investimento (cerca de €300 milhões) por uma empresa Turca em Portugal.
Na área de mercados de capitais o Banco realizou diversas operações de dívida de empresas alargando o número de emitentes de base nacional.

 

MAPFRE PATROCINA EQUIPA RENAULT DE FÓRMULA UM

A seguradora MAPFRE chegou a acordo com a Renault Sport Formula One Team para ser um dos patrocinadores oficiais da equipa durante a temporada de 2017.
Trata-se de uma experiência nova no mundo do automobilismo para a companhia seguradora que conta com uma ampla trajetória de patrocínios desportivos, como o do tenista Rafa Nadal ou o recente acordo de renovação como principal patrocinador de uma equipa participante da Volvo Ocean Race.
“Este acordo com o Grupo Renault traz a sinergia perfeita para embarcarmos numa aventura como é a Formula 1”, afirmou Ignacio Baeza, vice-presidente da MAPFRE. “A equipa tem grandes planos de crescimento para os próximos anos, o que reflete a nossa própria estratégia como companhia. Este patrocínio permite-nos aprofundar a promoção da marca e os valores da MAPFRE a nível mundial”.
A marca MAPFRE aparecerá nas asas dianteiras e nos aerofólios de ambos os veículos, bem como no uniforme e no capacete de um dos pilotos, o inglês Jolyon Palmer.
O novo carro da Renault para a temporada 2017 será apresentado ao público hoje, em Londres.

 

MAPFRE APRESENTA LUCROS SUPERIORES A 750 MILHÕES

Durante o ano de 2016, o lucro líquido da seguradora MAPFRE atingiu os 775 milhões de euros, o que representa um aumento de 9,4%, em relação ao ano anterior, graças ao bom comportamento dos três principais mercados: Espanha, Brasil e Estados Unidos e pelos excelentes resultados conquistados pela MAPFRE RE.
As receitas da MAPFRE alcançaram mais de 27 mil milhões e os prémios superaram os 22 mil milhões, representando um aumento de 2,2%.
Em 2016, o património líquido atingiu os 11 mil milhões de euros, um aumento de 10% em relação ao ano anterior, devido ao bom comportamento dos mercados e à evolução positiva das principais moedas (dólar e real). Por outro lado, os fundos próprios tiveram um aumento de 6,4%, alcançando 9 mil milhões e os activos totais subiram 7%, situando-se em mais de 67 mil milhões.
Segundo Antonio Huertas, presidente da MAPFRE, “2016 foi um ano muito positivo para a MAPFRE. A nossa estratégia, baseada no crescimento rentável, permitiu um aumento dos lucros de quase 10% e consolidar a nossa posição nos principais mercados”.
A Unidade de Seguros obteve prémios no valor de mais de 18 mil milhões, o que representa um aumento de 1,7% em relação a 2015, e o negócio MAPFRE Vida cresceu 18,1%, atingindo um volume de prémios de mais de 2 mil milhões, num ambiente caracterizado por baixas taxas de juro. O negócio de fundos de investimento teve um aumento de 30% (742 milhões de euros) atingindo mais de três mil milhões, enquanto o património dos fundos de pensões fixou-se em mais de 4500 milhões de euros.
Os prémios da Unidade de Resseguro aumentaram 13,5% durante o ano passado, superando os 4 mil milhões de euros, sendo que o resultado líquido deste negócio aumentou 22% chegando a 186 milhões de euros. A MAPFRE RE contribui com 17,1% dos prémios totais do Grupo.
Por sua vez, a Unidade de Riscos Globais registou um aumento nos prémios de 3,2% durante o exercício de 2016, alcançando mais de mil milhões.
A MAPFRE pagará aos seus acionistas 14,5 cêntimos por ação relativos aos resultados de 2016, 11,5% mais do que no ano anterior.

 

AMC ESTREIA RANSOM

Na próxima terça-feira, dia 21 de fevereiro, o AMC estreia Ransom, um drama criminal que conta com Frank Spotnitz (The X-Files, The Man in the High Castle), vencedor de um Emmy e de um Globo de Ouro, como produtor executivo e cuja história é inspirada na vida de Laurent Combaltert, que juntamente com o seu parceiro, Marwan Mery, formam a melhor equipa de negociadores do mundo.

Ao longo de 13 episódios, exibidos todas as terças-feiras, às 22h10, Ransom centra-se na figura de Eric Beaumont (Luke Roberts, de Game of Thrones, Black Sails, Wolf Hall, Taxi Brooklyn), um homem que compreende a linha de raciocínio dos criminosos e que, sem apelar para a violência, é capaz de manipular a mente do criminoso.

Este especialista em negociações viaja por diversos países na companhia da sua equipa, para ajudar multinacionais e órgãos governamentais a lidarem com situações complexas, muitas das quais envolvendo reféns.

A sua excelente performance profissional contrasta com o seu relacionamento com a família, amigos e colegas de trabalho, que nunca sabem se Eric está a ser genuíno ou a manipular as pessoas para conseguir o que deseja.