NOVO BANCO lança leilões online de depósitos a prazo com taxa especial dia mundial da poupança

Hoje, dia 31 de outubro, é Dia Mundial da Poupança. E se é de Poupança que falamos o NOVO BANCO celebra este dia com o lançamento dos Leilões online, um produto exclusivo para os utilizadores do homebanking do NOVO BANCO, sendo possível arrematar depósitos a prazo com taxas verdadeiramente atrativas.

Para o dia Mundial da Poupança, por exemplo, vai poder esperar por uma taxa de que não está à espera: os depósitos podem chegar a uma taxa máxima de 5%.

E o que é preciso fazer? Simples. O cliente entra no NBnet e, no menu Poupança e Investimento, vê se há leilões ativos. É aqui que vai encontrar toda a informação que precisa sobre o leilão em curso e acompanhar em tempo real a sua evolução. Depois… é só licitar: nos leilões normais, o montante e a taxa que pretende, e nos leilões de taxa fixa, o montante que quer ver remunerado com aquela taxa.

 

NOVO BANCO disponibiliza até 400M€ em nova linha de crédito FEI de apoio às PME inovadoras

O NOVO BANCO disponibiliza uma nova linha de crédito no valor de até 400 milhões de euros destinada a Micro, Pequenas e Médias Empresas(PME), e ainda empresas de maior dimensão empregando no máximo até 499 trabalhadores.

Esta linha, que resulta do acordo celebrado com o Fundo Europeu de Investimento (FEI), beneficia do apoio financeiro da União Europeia no âmbito dos Instrumentos Financeiros do Programa «Horizonte 2020» e do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), criados no quadro do Plano de Investimento para a Europa. O FEIE visa apoiar o financiamento de investimentos produtivos na União Europeia e assegurar um maior acesso a fontes de financiamento.

Esta nova linha destina-se especificamente a empresas que pretendam financiamento para apoiar as suas atividades ou projetos de investigação, desenvolvimento e inovação, até um máximo de 7.5 milhões de euros, e conta com uma cobertura do FEI para 50% do risco de crédito subjacente, sendo por isso muito relevante no apoio aos projetos aprovados nos sistemas de incentivos à inovação produtiva e qualificação de PME no âmbito do Portugal 2020.
Com esta nova linha, o NOVO BANCO reforça a sua posição de liderança entre os bancos portugueses no acesso a apoios do FEI destinados ao financiamento da economia Portuguesa, alcançando um valor acumulado de até 1.060 milhões de euros.

Este instrumento reveste-se de particular importância para o NOVO BANCO porque permite o acesso das PME portuguesas a condições de financiamento mais favoráveis, promovendo assim a criação de emprego e o crescimento da economia, e dando continuidade à estratégia prosseguida pelo NOVO BANCO de permanente apoio ao tecido empresarial Português.

Trata-se da quarta transação do mesmo tipo assinadaentre o NOVO BANCO e o FEI, depois do sucesso alcançado com o lançamento da linha “Risk Sharing Finance Facility” em outubro de 2013 e das duas linhas “InnovFin SME Guarantee Facility” em julho de 2015 e dezembro de 2016, através das quais o NOVO BANCO facultou 660 milhões de Euros de financiamento a mais de 500 empresas inovadoras suas clientes.

 

NOVO BANCO conclui com sucesso Operação de LME

O NOVO BANCO vai proceder à compra e reembolso antecipado de 4.743 milhões de euros de obrigações, representando 57% do valor nominal das obrigações objeto da oferta, pelo montante global de 1.988 milhões de euros nos termos da oferta de aquisição e de solicitação de consentimento concluído a 2 de outubro.

A transação vai permitir o cumprimento dos objetivos de aumento de capital próprio (Core Tier 1) e ganhos equivalentes, incluindo poupança de juros, num valor acima de 500 milhões de euros.

O sucesso obtido ficou a dever-se ao facto de a oferta ter permitido a compra e reembolso de obrigações representativas de 73% do valor contabilístico.

A data da liquidação está agendada para hoje 4 de outubro de 2017.

A concretização da venda do NOVO BANCO à Lone Star deverá ocorrer logo após a autorização formal da Comissão Europeia.

 

Obrigacionistas aprovaram proposta de reembolso antecipado

Realizaram-se hoje, em Londres, as assembleias gerais das 12 séries de obrigações que em 8 de setembro não obtiveram suficiente quórum constitutivo. As assembleias gerais de hoje reuniram com um quórum mínimo de 1/3 das obrigações existentes para votar o reembolso antecipado nos termos propostos pelo NOVO BANCO.

Em 7 das 12 assembleias gerais, os obrigacionistas aprovaram a proposta por uma maioria mínima de 75%. Conclui-se assim, com a aprovação em 16 séries, o processo de votação para o reembolso antecipado das obrigações, totalizando o reembolso de 4.075 milhões de euros a valor nominal.

Permanecem em aberto as restantes 20 séries, nas quais os obrigacionistas podem decidir até 2 de outubro a aceitação dos termos da oferta. O NOVO BANCO já possui ordens irrevogáveis nestas séries com um valor agregado de ordens processadas de 4.604 milhões de euros, correspondentes a 73,4% do objetivo.

 

NOVO BANCO lança hoje nova campanha de recursos “A Pouparia”

O NOVO BANCO lança hoje, dia 21 de setembro, uma nova campanha de poupança que tem por base um “Menu” de depósitos inovadores no mercado, agregados num conceito comum: “A Pouparia”. Se os devoradores de livros têm a livraria, os amantes de sapatos a sapataria, até os que não passam sem um hambúrguer têm uma hamburgueria, o NOVO BANCO abre agora “A Pouparia”, a pensar nos que gostam de poupar.

“A Pouparia” posiciona, assim, os balcões do NOVO BANCO como lojas especializadas em poupança, nas quais clientes e não clientes podem adquirir uma poupança à sua medida, organizados num “Menu”: seja por objetivos, definindo facilmente na NB smart app para o que querem poupar e em quanto tempo o querem fazer, seja para tentar a sorte e poupar uma viagem com o sorteio semanal de viagens para quem subscreve o DP NB Viagem. Até para quem faz anos, o “Menu” da “A Pouparia” do NOVO BANCO tem uma atenção especial, com um depósito a prazo que remunera de acordo com a idade dos seus clientes.

Esta campanha, desenvolvida pela BBDO, estará em todas as agências do NOVO BANCO, na rádio e em digital.

 

NOVO BANCO patrocina os melhores do Turismo em Portugal

O NOVO BANCO, patrocinador bancário exclusivo dos Publituris Portugal Travel Awards, marca mais uma vez presença nesta gala de entrega dos “Óscares” nacionais do turismo, que se irá realizar dia 21 de setembro, no Bom Sucesso Resort, em Óbidos.

Após um processo de nomeação e votação, as melhores empresas e instituições, os melhores prestadores de serviços e os profissionais que mais se destacaram em várias áreas do setor do Turismo, irão ser distinguidos, entre os seus pares, consoante a categoria em que foram nomeados.

O NOVO BANCO, que patrocina há 10 anos este prémio que celebra a excelência no Turismo, continua assim a manter a sua aposta em ser uma referência no apoio às empresas daquele que é um dos setores que constitui um dos maiores pilares da economia portuguesa e para o qual disponibiliza também um conjunto de soluções de apoio às empresas do turismo e à concretização dos seus negócios.

Para marcar este evento que conta com o patrocínio do NOVO BANCO pela décima vez consecutiva, o banco lançou uma pequena campanha de divulgação em imprensa.

 

NOVO BANCO celebra protocolo com Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

O NOVO BANCO celebrou hoje um protocolo de colaboração com a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL) que consiste na cedência da Biblioteca de Estudos Humanísticos à FLUL, uma das mais relevantes bibliotecas especializada nos temas do Humanismo Renascentista a nível internacional, propriedade do NOVO BANCO.

A Biblioteca de Estudos Humanísticos reúne um acervo bibliográfico constituído por cerca de 9700 volumes, com exemplares únicos e raros de Livro Antigo, manuscritos do século XVI e textos fundamentais na História do pensamento ocidental.

A partir de dia 1 de outubro de 2017 o acervo completo da extraordinária Biblioteca de Estudos Humanísticos de Pina Martins será alvo de estudo e disponibilidade na Biblioteca da Faculdade.

A promoção, valorização científica e partilha com o público em geral desta rara Biblioteca que faz parte do património cultural nacional foram os principais argumento para a realização deste protocolo entre o NOVO BANCO e a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Em concreto, a Faculdade de Letras considera que, por um lado, o âmbito e os resultados da investigação científica na FLUL poderão ser potenciados e valorizados pelo acesso de investigadores especializados à “Biblioteca de Estudos Humanísticos” (reunida pelo Professor José Vitorino de Pina Martins), e por outro lado, que o apoio científico de especialistas da Faculdade e as atividades e projetos de natureza científica desenvolvidos com base no acesso à biblioteca, se traduzem no acrescento de valor científico à mesma.

Por parte do NOVO BANCO, é do seu interesse dar a conhecer ao público um acervo bibliográfico de que é proprietário, potenciar a sua visibilidade, não só em termos bibliográficos mas, também, à luz da sua constituição como biblioteca particular, assim como no apoio à pesquisa científica, valorizando-o cultural e socialmente.

 

Resultados do Grupo NOVO BANCO no 1º Semestre de 2017

NOVO BANCO reduz prejuízo em 19,9%. Resultados operacionais crescem 20,5%

O Grupo NOVO BANCO obteve um resultado negativo em 290,3M€ no 1º semestre de 2017, que compara favoravelmente com o prejuízo de 362,6M€ registado até junho de 2016, tendo em conta o ainda elevado nível de provisionamento.

No entanto, o resultado operacional (antes de imparidades e impostos) foi positivo em 171,5M€ (+20,5% que no 1º semestre de 2016), demonstrativo da capacidade de geração de resultados por parte do Grupo NOVO BANCO.

Segundo António Ramalho, CEO do NOVO BANCO, “estes resultados evidenciam o enorme esforço de reestruturação do banco, quer no aumento dos resultados operacionais, quer na redução continuada de custos”.

Os custos operativos situaram-se em 265,2M€, evidenciando um decréscimo de 39,0M€ (-12,8%) face ao período homólogo do ano anterior, confirmando a tendência de redução que se tem verificado desde a criação do NOVO BANCO.

O montante afeto a provisões, no valor de 413,1M€, regista uma redução de 163,6M€ em relação ao período homólogo (28,4%). No decorrer deste semestre foi constituída uma provisão para reestruturação (39,1M€) e para atividades em descontinuação (40,0M€). As imparidades para crédito no valor de 258,3M€ mantêmum nível elevado e semelhante ao semestre homólogo (junho 2016: 282,4M€).

O crédito a clientes totalizou 32,2mM€ tendo registado, neste trimestre, uma redução de 1,3mM€ no âmbito do processo de desalavancagem em curso; os depósitos de clientes (25,4mM€) ficaram acima do registado no primeiro trimestre de 2017 (+0,2 mM€), com o rácio de transformação a evoluir favoravelmente para 106% (dez-16: 110%).

O rácio de capital regulamentar Common Equity Tier 1 (CET1), estimado para 30 de junho de 2017, fixou-se em 10,8%.

De salientar a expressiva redução do crédito non performing que passou de 11,3mM€ em dezembro de 2016 para 10,4mM€ em junho de 2017 (redução de 0,9mM€), com o respetivo rácio de cobertura a atingir 50% (dez-16:48%). A sinistralidade apresenta uma melhoria de 130pb situando-se em 32,1%.

 

NOVO BANCO lança Micro Cartão de débito Contactless pioneiro em Portugal

O NOVO BANCO lança hoje, dia 21de julho, o NB Micro Cartão Contactless, um cartão de débito único em Portugal. Este Micro Cartão pode ser colado no telemóvel ou em qualquer outro objeto que ande sempre com a pessoa e permite fazer pagamentos no mundo inteiro com um simples toque num TPA.

Este é o primeiro lançamento em Portugal deste tipo de cartão e uma clara aposta numa tendência internacional dos meios de pagamento de estarem presentes não apenas nas carteiras das pessoas mas também noutros elementos “wearables” (telemóveis, porta-chaves, pulseiras) do dia-a-dia.

O NB Micro Cartão Contactless transforma o objeto onde for colado num cartão de débito. Com a mesma segurança dos cartões bancários tradicionais que têm tecnologia contactless, permite fazer tanto pequenas como grandes compras.

Para pagar uma compra, basta “tocar” com o NB Micro Cartão Contactless num TPA (terminal de pagamento automático) com tecnologia contactless. A compra é confirmada com um som ou um sinal. E se a compra for superior a 20€ ou quando nesse dia fizer compras superiores a 80€, para maior segurança é solicitado o PIN para confirmar a mesma.

A tecnologia contactless está muito espalhada na Europa e, em Portugal, está já disponível em mais de 45.000 terminais. As pessoas passam assim a poder ir ao supermercado, ao restaurante, tomar uma bebida, comprar um livro…apenas com o seu telemóvel. Muito prático, com este micro cartão do NOVO BANCO a compra leva menos tempo e o cartão nunca sai da mão do cliente.

O NB Micro Cartão Contactless é totalmente compatível com todos os TPAs com funcionalidade contactless que aceitem a marca VISA e possui as mesmas características de segurança dos restantes cartões contactless. Graças à tecnologia do chip EMV presente neste micro cartão, todas as compras são encriptadas.

Com o lançamento, numa primeira fase, de 50.000 micro cartões, o NOVO BANCO coloca-se, uma vez mais, na linha da frente da inovação em meios de pagamento em Portugal.

Com o NB Micro Cartão Contactless, disponível em qualquer balcão do NOVO BANCO, já pode ir à praia, fazer jogging ou mesmo passear o cão sem ter de se preocupar em levar a carteira.

Campanha de serviços de quotidiano

O lançamento do NB Micro Cartão Contactless irá ser acompanhado por uma campanha de publicidade de produtos e serviços de quotidiano.

Desde o NB Micro Cartão Contactless, com o qual pode ir às compras sem levar a carteira, ao Cartão Branco, o único cartão de crédito com 0% de juros. Não esquecendo a NB smart app, com entrada por impressão digital onde pode fazer os seus movimentos habituais com muito menos cliques. Ou o Orçamento Familiar, que organiza automaticamente todas as suas despesas no NBnet.

E, para fazer face a imprevistos, o Crédito Ordenado, que pode pedir online ou o Cash Advance, também disponível online, com adiantamento do limite de crédito disponível no seu cartão para a sua conta à ordem.

Com o claim: Um banco que faz o seu dia-a-dia render? Isto é novo. É NOVO BANCO, a campanha, desenvolvida pela BBDO, é lançada também hoje, 21 de julho, e estará presente em todas as agências do NOVO BANCO, na rádio e em digital.

 

Selecionados os quatro finalistas ao prémio NOVO BANCO Revelação 2017

Os finalistas da edição de 2017 do prémio NOVO BANCO Revelação já estão escolhidos. O júri, presidido por João Ribas, Diretor Adjunto e Curador Sénior do Museu de Serralves e constituído por Andrea Lissoni, curador de vídeo e fotografia da Tate Modern, em Londres; Alessio Antoniolli, director da Gasworks & TriangleNetwork, Londres; Ricardo Nicolau, adjunto da direção do Museu de Serralves e Filipa Loureiro, curadora do Museu de Serralves, decidiu por unanimidade selecionar os projetos dos artistas Tiago Madaleno, Henrique Loja, Diogo Bolota e Ana Barata Martins como finalistas do prémio.

Será publicado em julho um catálogo que apresenta o trabalho destes quatro finalistas que, além de imagens que documentam os projetos, inclui ainda entrevistas aos artistas conduzidas por Ricardo Nicolau.

Ainda durante o mês de julho, o júri reunirá pela segunda vez, agora com a presença dos quatro artistas selecionados, para a apresentação dos projetos que pretendem desenvolver.

Após esta reunião, o júri decidirá sobre o grande vencedor da edição de 2017 do prémio NOVO BANCO Revelação, a quem será atribuída uma bolsa de produção para que concretize o projeto pelo qual foi inicialmente selecionado. Este projeto será apresentado numa exposição individual, a inaugurar em outubro no Museu de Arte Contemporânea de Serralves.

O prémio NOVO BANCO REVELAÇÃO é uma iniciativa do NOVO BANCO em parceria com a Fundação de Serralves, que já distinguiu 39 artistas e tem como objetivo incentivar a produção e criação artística de jovens talentos portugueses, até 30 anos, tendo por base uma lógica de divulgação, lançamento e apoio a todos os artistas que recorram ao meio da fotografia.

Sobre os projetos dos artistas selecionados

Com o projeto Clepsidra, uma narrativa em forma de performance, Tiago Madaleno propõe-se refletir acerca da relação entre a fotografia e a temporalidade invocando a presença do corpo no processo de produção das imagens. Recorrendo a uma instalação com diversos dispositivos que exploram o uso desviado do vocabulário fotográfico, o projeto questiona as condições de visibilidade da fotografia, nomeadamente os processos utilizados para a produzir e o recurso ao índice como ferramenta de trabalho.

Henrique Loja propõe-se apresentar um conjunto de chapas fotográficas impressas em grande formato, sob o título Aeroponic / Air Works,nas quais irá simular uma ficção, onde a película fotográfica se propaga como um aparelho de monitorização da qualidade do Ar. Neste projeto, o artista trabalha meticulosamente os processos de transposição da imagem entre os meios analógicos e digitais.

Diogo Bolota, com o projeto Relance, convoca o confronto entre objetos, questionando a função habitual destes e a estranheza que resulta da sua fusão com um outro. À semelhança de uma imagem fotográfica, que frequentemente traduz diferentes realidades, nesta junção de objetos criam-se novos sentidos, a partir de um contexto familiar, alterando-se a sua perceção através da criação de pasmo.

Ana Barata Martins trabalha essencialmente com filme ensaístico, fotografia, escultura e texto. Concorreu ao prémio com um projeto onde se propõe explorar os diferentes aspetos estéticos das tipologias do vernáculo arquitetónico contemporâneo português, procurando compreender os seus elementos, composição e influências.

Os quatro artistas finalistas ao Prémio deste ano utilizam o suporte fotográfico para o interrogar nos seus sentidos e possibilidades na arte contemporânea.